Notícias em RSSYouTubeTwitter Facebook
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Notícias

  16/05/2017 

Semana Nacional de Museus

 

De 15 a 21 de maio acontece a 15ª Semana Nacional de Museus, temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em comemoração ao Dia Internacional de Museus, 18 de maio. Fazendo parte dessa celebração, os equipamentos da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), como o Museu do Ceará, Museu de Arte Sobrado Dr. José Lourenço, Museu Sacro São José de Ribamar, Theatro José de Alencar, Vila da Música e os museus do Centro Dragão do Mar, reúnem, desde o começo do mês, uma programação diversa e com entrada franca para os cidadãos cearenses.
 
Exposição e palestra no Museu do Ceará

 


Desde o dia 9/5, está em cartaz no Museu do Ceará a exposição "A Resistência e Luta: por um novo olhar para a loucura", com pinturas e esculturas de artistas como J. W. Crispim, Ernesto Sal, Marina Rodrigues, Camila Santos Sousa, Carlos Bandeira, Helena Karla e Francisco Lima. A mostra, com curadoria de Raimundo Lima e Cláudia Oliveira, trata da leitura sobre o universo da saúde mental e da loucura a partir da perspectiva de mulheres e homens, usuários do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) e de convidados, no qual registraram, através de linguagens artísticas distintas, como pinturas e esculturas, suas angústias, esperanças e resistências cotidianas. 

As artes, no contexto da exposição, tornam-se importantes instrumentais transformadores, tanto na perspectiva individual como coletiva na medida em que, ao mesmo tempo, que potencializam, nos artistas, a reelaboração de suas vidas, possibilitam, na sociedade, a desconstrução e construção de novos significados dados à saúde mental.

A exposição, acolhida pelo Museu do Ceará, faz parte das comemorações em torno do 18 de maio, Dia Nacional da Luta Antimanicomial, data em que se discute a necessidade da construção de uma sociedade em que elabore outras formas de lidar com a saúde mental, a saber: de maneira mais livre, criativa, inclusiva e humana.
 
Complementando a programação da exposição, no dia 18/5, às 15h, o Museu do Ceará recebe a mesa-redonda "18 de Maio: dia de luta por uma sociedade sem manicômios, no passado e no presente", durante o projeto "Diálogos em História", tendo como convidadas a a historiadora Cláudia Freitas de Oliveira (UFC) e da arte educadora Danny Marinho. "Vamos trabalhar um pouco sobre como surge a institucionalização da loucura, como surgem os hospitais psiquiátricos historicamente. Articularemos essa ideia com os tempos atuais, no sentido de dar voz ao sofrimento feminino, à violência contra a mulher e combatê-lo", destaca Cláudia Oliveira.

O público pode conferir também a exposição permanente do Museu do Ceará, que possui um acervo bastante variado, resultado de compras e, sobretudo, de doações de particulares e instituições públicas. Entre moedas e medalhas, há quadros, móveis, peças arqueológicas, artefatos indígenas, bandeiras e armas. Há também peças de "arte popular" e uma coleção de cordéis publicados entre 1940 e 2000. Alguns objetos se referem aos chamados "fatos históricos", como a escravidão, o movimento abolicionista e movimentos literários, como a famosa "Padaria Espiritual", que entrou para a História da Literatura Brasileira com especial destaque. Trata-se de um acervo que atualmente é trabalhado como veículo de reflexão sobre a Historia local integrada à História do Ceará, em seus aspectos culturais, econômicos e sociais. Muitas peças estão em exposição, organizadas em salas temáticas.

O Museu do Ceará fica localizado no Centro de Fortaleza (Rua São Paulo, nº51) e é aberto ao público de terça-feira a sábado, das 9h às 17h. Acesso gratuito.

Pitaguary é tema de nova exposição no Sobrado
 
No sábado, 20/05, às 10h, o Museu de Arte Sobrado Dr. José Lourenço (Rua Major Facundo, 154 - Centro) abre uma nova exposição chamada "Museu Indígena Pitaguary", com performance e bate-papo com Benício Pitaguary, artista indígena autor da exposição. Benício é estudante de geografia que desenvolve uma pesquisa a respeito das práticas das pinturas corporais e suas relações com a construção da identidade indígena. Na exposição, ele trará a pintura corporal como inspiração.
 
Até o dia 20/5, o público pode conferir o Ateliê Aparecidos Políticos, com várias atividades do coletivo que faz o ativismo criativo. No ateliê do grupo estão retratadas as experiências nas ruas como as intervenções de rebatismo social e performances em centros de tortura, demonstrando a necessidade e o compromisso de reconstruirmos a verdade e a memória histórica do período da exceção brasileira, Com a proposta do Ateliê de Artista, o Coletivo pretende visibilizar, por meio da arte, as lutas populares e o protagonismo de militantes que fizeram e fazem de suas vidas, um instrumento contra as opressões, na luta por justiça social.
 
A Exposição Biwá, da artista Cláudia Oliveira Quilombola, é outra opção para visitação, até o dia 27/5. A exposição apresenta a pesquisa e o processo criativo de Cláudia Oliveira Quilombola, durante seu mestrado em educação na UFC. Cláudia Quilombola, como gosta de ser chamada, desenvolveu uma peça artística de criação colaborativa sobre as referências culturais africanas entre os quilombolas da Serra do Juá, em Caucaia, onde existem 9 quilombos. Seu trabalho surge através da pesquisa sobre o pano de pente praticado na Guiné Bissau e o parangolé do Hélio Oiticica. Ao reunir estas duas expressões culturais, Cláudia Quilombola criou uma peça artística de performance ritual que inventa e recompõe narrativas de afro-pertencimento. Nesta exposição, a artista traz peças que falam das histórias das comunidades dos quilombos: Serra do Juá, Serra da Conceição, Porteiras, Capuan, Serra da Rajada e Boqueirãozinho.
 
No Sobrado Dr. José Lourenço a entrada é franca e para grupos é necessário agendamento prévio pelo número ou e-mail disponibilizados: (85) 3101.8827 /  sobrado.3107@gmail.com. O museu é aberto ao público de terça-feira a sexta-feira, de 9h às 17h, e aos sábados, de 9h às 14h.
 
Chico Albuquerque e Miolo de Pote no Dragão

A exposição de fotos "O fotógrafo Chico Albuquerque, 100 anos" é o grande destaque no Museu de Arte Contemporânea do Ceará, no Centro Dragão do Mar.  Nascido há 100 anos (25 de abril de 1917) e falecido há 16 (26 de dezembro de 2000), "Seu Chico" como era chamado por tantos amigos, colegas e admiradores de sua obra, foi o precursor da fotografia na publicidade no Brasil e fez escola com sua arte que foi, é e será sempre uma grande referência. Esta é a mais completa mostra sobre a sua obra, somando cerca de 400 fotografias, além de objetos, livros, recortes, exibição de filmes ("It's All True", "Cangaceiros"), documentários sobre ele, vídeo sobre o livro Mucuripe, entrevistas, entre outros. A mostra abriu o festival Maloca Dragão, que este ano teve como tema "It's All True, Orson Welles – 100 anos de Chico Albuquerque".

Também no Dragão do Mar, no Museu da Cultura Cearense, acontecem durante a Semana de Museus, sempre pela tarde, atividades como mesas-redondas, palestras e oficinas sobre o tema. A programação pode ser conferida no site do Dragão do Mar: www.dragaodomar.org.br/.
No museu também está a exposição "Miolo de Pote: a cerâmica cearense primitiva e atual". Potes, panelas, alguidar, caco de torrar café, brinquedos. A exposição Miolo de Pote revela um Ceará uno e múltiplo, similar e diverso, em dia com as heranças indígenas, africanas, ibéricas. "Primitiva e atual, a arte no barro mantém características próprias em cada localidade ou região, seja no tipo de material, no desenho, nas técnicas, seja no resultado final", define a curadora Dodora Guimarães. Além dela, a mostra tem ainda a contribuição curatorial da historiadora e diretora de museus do Centro Dragão do Mar, Valéria Laena.

Miolo de Pote reúne, sobretudo, duas coleções públicas: a do Museu da Cultura Cearense (Instituto Dragão do Mar), feita entre 1997 e 1998, que cobriu a Região do Cariri, Saboeiro e Iguatu; e a da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Governo do Estado do Ceará), adquirida em 2005 e 2006, durante o Projeto Secult Itinerante, que percorreu todo o Estado. Algumas peças advindas do Projeto Comida e da exposição O Fabuloso Mundo do Barro, ambos do MCC, enriquecem a mostra que conta ainda com a participação dos artistas plásticos e visuais Bosco Lisboa, Gentil Barreira, Liara Leite, Sabyne Cavalcanti, Tiago Santana, Tércio Araripe, Terry Araújo e Túlio Paracampos.

Museu Sacro

Outra opção é visitar a exposição de longa duração do Museu Sacro São José de Ribamar, que fica na Praça Cônego Araripe, nº 22, no município de Aquiraz. Criado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, foi o primeiro museu sacro instalado no território cearense, no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia, edificação erguida entre fins do século XVIII. O equipamento cultural passou a abrigar um conjunto de objetos religiosos advindos dos vários municípios e paróquias cearenses. Esse acervo é constituído por uma diversidade de imagens de santos e de anjos, objetos das procissões religiosas, parâmetros litúrgicos, missais etc., totalizando cerca de 1.400 peças, muitas de notório valor artístico e cultural, que nos remetem ao barroco colonial cearense. O Museu Sacro é aberto ao público de terça-feira a sábado, de 9h às 17h. Informações: (85) 3101.2818 - 3361.2535.
 
TJA: o teatro cearense em exposição
 
O Theatro José de Alencar terá nova exposição na Galeria Ramos Cotoco, no anexo do equipamento cultural. "O Teatro Cearense pelas Mãos do Cenógrafo e Figurinista Flávio Phebo" é o tema da mostra composta de croquis originais de cenários e figurinos assinados por Flávio Phebo. Na ocasião de abertura da exposição, no dia 17/5, às 19h30, acontece o lançamento do livro de mesmo nome de autoria do ator, diretor e pesquisador Hiroldo Serra.
 
Vila da Música também traz exposição

A Vila da Música, novo equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), na região do Cariri, traz, com abertura no dia 16/5, às 19h, uma exposição de fotos, instrumentos e artigos de jornais evidenciando a criação da escola de educação artística Heitor Villa-Lobos e a criação da Sociedade Lírica do Belmonte – Solibel. A mostra fica na Sala de Luthieria da Escola Vila da Música - Solibel, que fica na Av. José Horácio Pequeno, nº 1366, Belmonte, no Crato (CE). Mais informações: (88) 3521.0550.

 

Fonte: SECULT
Última atualização: 16/05/2017 às 10:17:04
 
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente esta notícia

Nome
Nome é necessário.
E-mail
E-mail é necessário.E-mail inválido.
Comentário
Comentário é necessário.Máximo de 500 caracteres.
código captcha
Código necessário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar.
Basta preencher o formulário acima.

 

INSTITURO BÁRBARA DE ALENCAR
Av. do Imperador, 1649 - Benfica - Fortaleza - Ceará  |  CEP 60015-051

www.igenio.com.br